Entrevista sobre Futebol

1 - Os músculos mais demandados durante uma partida (de preferência com o nome deles)?
2 - Quantos quilômetros, em média, um jogador deste pode correr ao longo de 90 minutos?
3 - Quanto perde de água?
4 - Quantas calorias pode gastar?
5 - Batimentos cardíacos.
6 - Pressão arterial.

1.      Os atletas utilizam diversos músculos durante uma partida de futebol. Para que a execução do que chamamos de "gesto esportivo" seja o mais perfeito possível não se pode ter apenas as pernas e coxas fortes. Obviamente, algumas partes são mais solicitadas, mas o jogador de futebol deve estar bem treinado de uma forma global, tanto no aspecto muscular, como na parte cardiológica e pulmonar. Nesse esporte, a musculatura mais utilizada está localizada nos membros inferiores, representados pelas coxas, pernas, joelhos e pés. Os músculos mais usados são aqueles das coxas e das pernas. Eles são responsáveis pelos chutes, dribles e corridas de linha de fundo em velocidade. Existem diferenças dessas características em relação à posição em que cada jogador atua. Os laterais costumam ser mais velozes e terem melhor condicionamento físico para suportar muitos minutos "indo e voltando", atacando e ajudando na marcação. Esses jogadores geralmente apresentam características semelhantes aos velocistas do atletismo e podem ser tão resistentes como os fundistas (corredores de meia distância e longa distância). Já um zagueiro pode não ter a mesma resistência de um lateral, mas pode apresentar maior força física e maior impulsão nos saltos verticais, muito comuns dentro da pequena área para proteger o gol durante um escanteio, por exemplo. Os goleiros, por sua vez, já apresentam normalmente menor resistência física, o que chamamos de capacidade aeróbica. Em compensação, são os melhores em impulsão e nas respostas rápidas, com seus reflexos mais apurados, devido ao treino focado nessa habilidade. Dentre os grupamentos musculares da coxa e das pernas mais utilizados destacamos os compartimentos anterior, medial e posterior: na parte anterior da coxa temos o quadríceps femoral, que é composto por vários músculos com diversos nomes. Ele é responsável pela flexão do quadril e extensão do joelho. São geralmente muito desenvolvidos nos jogadores de futebol. Existem também os músculos posteriores da coxa como o bíceps femoral, o semitendinoso e o semimembranoso, responsáveis por movimentos como extensão da coxa e rotações laterais e mediais da perna, além de músculos estabilizadores do joelho. Na parte medial da coxa temos os músculos adutores, com função de adução, flexão e rotação lateral da coxa. Existem outros muitos músculos presentes na perna, essenciais para os movimentos dos pés e responsáveis pelos chutes precisos.

Para os jogadores de futebol, o alongamento e aquecimento são essenciais, principalmente para pernas. Quem tem o hábito de jogar futebol, mesmo que não profissionalmente, deve fazer exercícios de alongamento e musculação pelo menos duas vezes por semana e manter uma rotina de treinos com o objetivo de evitar lesões.

2. Um jogadorde futebol pode correr em entre 9 a 12 Km por partida, dependendo da posição em que atuam. Um lateral chega a correr 12km, enquanto um zagueiro corre entre 8 a 9Km.

3. Um jogador de futebol pode perder entre 2 a 3 kg por partida, sendo que a maior parte desse peso é composto por água. Essa perda depende das condições climáticas e da capacidade de reposição do jogador durante a partida.

4. Como o esforço físico é muito variado e exige desde saltos, corridas em alta velocidade (até acima de 30Km/hora), quedas frequentes, marcações dos adversários com intenso corpo-a-corpo, o gasto energético é grande podendo estar entre 1500 a 2000 calorias por jogo. Isso faz com que a recuperação desse atleta seja primordial. Devido aos choques e ao intenso uso da musculatura, o corpo precisa de descanso para regenerar as fibras musculares lesadas (chamadas de microlesões) durante a partida e para repor os estoques de energia exauridos durante tanto esforço. Atletas mais jovens costumam se recuperar mais rapidamente do ponto de vista muscular, o que justifica, em alguns casos, as lesões mais frequentes em jogadores mais velhos, submetidos a uma sequência muito grande de partidas.

5. A frequência cardíaca de um atleta de futebol bem treinado, quando em repouso, varia entre 50 a 60 batimentos por minuto. Entretanto, devido ao aquecimento pré-partida e ao estresse emocional envolvido, os batimentos já sobem mesmo antes da bola rolar, podendo, muitas vezes, o atleta já começar com uma frequência cardíaca superior a 100 ou mesmo 120 batimentos no início da partida. Durante o jogo, a frequência cardíaca geralmente fica em  média em torno de 150 a 160 batimentos por minuto. Não raramente, em alguns momentos da partida, a frequência cardíaca pode alcançar ou mesmo ultrapassar os 200 batimentos por minuto.

A pressão arterial costuma se comportar com oscilações esperadas durante o jogo. A pressão arterial sistólica ("chamada de pressão mais alta") costuma subir até níveis aceitáveis e normais para esse esporte. Enquanto a pressão diastólica, conhecida como a pressão mais baixa, fica estável, podendo inclusive cair um pouco durante a partida. Vale lembrar que após alguns minutos após uma partida de futebol ou um esforço mais intenso por tempo prolongado, existe uma tendência à queda de pressão. Para prevenir desmaios e mesmo quedas da própria altura após essas práticas esportivas, aconselha-se uma boa hidratação antes, durante e após a execução de exercícios físicos intensos e prolongados. Se esse exercício ultrapassar 1 hora de duração, normalmente bebidas isotônicas associadas a carboidratos podem ser benéficos, uma vez que perdemos além de água, muitos minerais (chamados eletrólitos) com o nosso suor, além de gastarmos nossos estoques de energia.
 

Dr. Marconi Gomes da Silva - CRM 34604

Médico do Esporte

Presidente da Sociedade Mineira de Medicina do Exercício e do Esporte - Smexe